albert is my hero

When I first saw this four episode documentary on Albert Kahn‘s legacy, I was completely blown away by the photography and video archive of the entire world that he built back in the beggining of the XXth century. So amazed that if you know me and you have a slight interest on photography or world history, I’ve probably told you about this story with more enthusiasm that one usually shows for BBC documentaries.
The archive is wonderful, but more than the photos itself what makes me come back to this over and over again is the story behind it.
The short version is that a very wealthy banker called Albert Kahn, that lived in Paris, once had the idea of building something called the Archives of the Planet. In 1909, he sent a group of photographers to pretty much anywhere in the world with the mission of bringing back images from places never seen before. Back in Paris, he promoted private exhibitions for close friends at his own house. His archive contains scenes from everyday life, but also crucial historic events that I don’t think exist in record in any other archive in the world. Years go by, but Albert ends up bankrupt due to the economic depression and is forced to end the project in 1931. He kept on living in his house, where the museum is located today, and stored all the glass plates and films there.
Then one day, in 1940, he dies in his sleep. Completely alone and right in the middle of the nazi occupation.
After his death, the house gets invaded and looted by the nazis, and pretty much everything worth something is taken. Everything except for the most beautiful archive of the Humanity ever seen, that was left untouched to be found years later.
There you go. Albert could have done a million things with all his money and yet he chose to finance a photographic expedition that ended up documenting a world that was about to change forever, although he didn’t know that at the time. I love that.
I think this story is amazing.  If you have any curiosity in watching the documentary, it’s the first time I’ve seen it completely available on youtube, so please take the opportunity.

//

Da primeira vez que vi este documentário sobre o legado do Albert Kahn, fiquei completamente fascinada pelo monumental arquivo fotográfico e vídeo que ele construiu no início do séc.XX. Tão fascinada que, se me conhecem pessoalmente e têm algum interesse ou por fotografia ou História mundial, então já vos relatei esta história com um pouco mais de entusiasmo do que geralmente se costuma ter por documentários da BBC.
O arquivo é algo de maravilhoso, mas mais do que as imagens, o que me faz voltar repetidamente a isto, é a história por trás dele.
Muito resumidamente, um banqueiro bastante rico que vivia em Paris, chamado Albert Kahn, lembrou-se um dia de criar algo a que chamou os Arquivos do Planeta. Por isso, em 1909, tratou de enviar um grupo de fotógrafos para praticamente todo o mundo, com a missão de trazer de voltas imagens de lugares nunca vistos antes. De volta em Paris, tratava de promover visualizações privadas para os amigos, em sua casa. O arquivo contém principalmente registos de cenas quotidianas, mas também de momentos históricos cruciais, que penso não estarem documentados visualmente em mais lado nenhum. Os anos passaram e, com a Grande Depressão, Kahn acaba falido e é forçado a terminar o projecto em 1931. Apesar disso, continuou a viver na sua casa, que é hoje um museu, e aí manteve armazenadas todas as placas de vidro com as fotografias e os videos.
Até que uma noite, em 1940, acaba por morrer durante o sono. Completamente sozinho e mesmo no meio da ocupação nazi de Paris. Depois da sua morte, a casa é invadida e pilhada pelos nazis, que roubam tudo de valor. Tudo, menos o arquivo mais bonito que a humanidade já viu, que ficou lá, intocado, para ser descoberto apenas anos depois.
Kahn podia ter feito um milhão de coisas com todo aquele dinheiro, mas escolheu financiar uma expedição fotográfica que acabou por documentar um mundo que mudou para sempre naquela altura, embora ele não o soubesse. Adoro isso.
Pronto, eu acho esta história fantástica, e se despertou algum interesse desse lado, aproveitem que é a primeira vez que vejo o documentário integralmente disponível no youtube.